Descubra a nossa NOVA Plataforma Kwanko aqui

Os influencers fazem parte do marketing-mix dos anunciantes há vários anos.  Com um tweet, uma foto, um artigo ou um vídeo, estão aptos a atingir uma comunidade crescente de uma maneira natural e espontânea. Trabalhar com influencers, não é contudo, algo que possa improvisar. É um processo que necessita ser planeado com antecedência e cuidado, que assenta mais numa colaboração criativa que numa relação cliente-fornecedor. Criar uma campanha de influencer marketing, portanto, requer uma estratégia adequadamente adaptada.

Se está atraído(a) pela ideia, disponibilizamos aqui as melhores práticas para tornar sua campanha de influencer marketing um sucesso.

Saiba para quem se dirige

Antes de iniciar necessita saber para quem vai falar. Quem são os seus targets? Quem são os seus compradores(as)?  Que estilos de vida têm? Quais são as alavancas de tomada de decisão? Que tipo de conteúdos gostam de ler e partilhar? Os seus hábitos de consumo?

Saber com quem se fala é essencial quando se trata de orientar a sua campanha de influencer marketing na direção correta. A partir do momento que sabe quem são os seus clientes e o que os motiva, a pesquisa de influencers que correspondam aos requisitos e expetativas deles, será mais fácil.

Compreender o mundo dos influencers

No pequeno mundo dos influencers, existem grandes e pequenos protagonistas. No primeiro caso são as estrelas que são os influencers com centenas de milhares de seguidores, ou até vários milhões em certos casos.  Estamos neste caso, na verdadeira influência de massas. São frequentemente as estrelas do pequeno ecrã ou do mundo dos desportos, ou criadores bem posicionados com uma longa presença na web.

Depois vêm os micro-influencers. As comunidades deles são mais pequenas mas muitas vezes mais empenhadas. Concentram-se em nichos de mercado nos quais são vistos como verdadeiros especialistas. Irá encontrá-los como especialistas em assuntos relacionados com as atividades de lazer, desportos, novas tecnologias, jogos, no universo da beleza, etc. Pelo facto de serem apaixonados por aquilo que fazem e pela sua abordagem natural, podem alcançar facilmente uma grande comunidade de uma forma altamente despretensiosa e respeitosa.

E por fim, há os nano-influencers. Estes ainda são mais pequenos mas têm um potencial de crescimento significativo. Alguns têm apenas alguns milhares de seguidores. As marcas, portanto, confiam na “inocência” deles e na autenticidade do que dizem para expandir os seus mercados na esperança de alcançarem retornos futuros.

Encontrar o influencer certo

Contactar um influencer diretamente é normalmente um esforço perdido. É necessário passar por redes formais e informais e submeter casos de negócio que façam sentido. Embora seja possível contactar com micro-influencers e nano-influencers diretamente, a melhor abordagem é a de contactar agências cujo negócio é. Eles conhecem as expectativas dos influenciadores, suas disponibiliades e seus desejos. Ir através de intermediários evita que faça erros de principiante e poupa-lhe tempo na cadeia de valor.

Nem todos os influencers trabalham da mesma forma.  Alguns apenas concordarão em simplesmente mencionar a marca, outros podem desejar levar a cabo uma demonstração do serviço ou produto, ou podem até concordar em criar um conteúdo próprio da marca.  Não interessa qual é o caso, antes de negociar com os influencers tem primeiro que ter a certeza que está familiarizado(a) com o mundo deles, os seus conteúdos e valores. É neste ponto, em particular, que as agências são muito úteis.

É melhor construir em colaboração do que impor.

Um influencer aceitará um projeto mais facilmente se tiver a possibilidade em participar desenvolvimento do mesmo. No seu caso, assim, necessita de adotar uma atitude aberta e estar disposto(a) a permitir uma certa margem de manobra. Isto é de facto, algo que não é sempre óbvio para os anunciantes, que tendem a querer exercer o máximo controlo no seu marketing e comunicação.

Quando implementa uma campanha de influencer marketing ,  não deve ter qualquer hesitação na utilização dos vários influencers. O objetivo é expor a marca o máximo possível dentro de um período de tempo definido Contudo, as pessoas tendem a movimentarem-se rapidamente entre uma coisa e outra, indo de um blogue para o Instagram depois ligam-se ao YouTube no período de apenas alguns minutos, por exemplo.

As pessoas, portanto, necessitam encontrar o conteúdo de uma marca que se mantém nestes canais de comunicação e com os hábitos e comportamentos dos influencers. Aqui, estamos a chegar mais perto do modelo de publicidade nativa, mas não se esqueça: influencer não é uma musa a quem simplesmente diz o que pretende.

Medir o retorno do investimento

Definir os KPI’s para medir suas campanhas de influencer marketing não é uma tarefa linear e clara como é no marketing tradicional, mas estes KPI’s mesmo assim existem.  Tendem a ser expressos em termos de audiência alcançada, o número de cliques, likes e comentários/críticas, quotas de mercado das redes sociais, utilização de código promocional, e links seguidos, etc.

Earned Media Value é outro KPI útil a seguir. Isto equivale à exposição mediática adquirida quando a marca é falada através dos canais de comunicação que não são controlados pela empresa. Isto poderá ser na forma de artigos de blogue, críticas ao produto, vídeos no YouTube, críticas de clientes nas plataformas digitais, etc. Aquilo que o influencer diz pode portanto espalhar-se a outros canais de comunicação tendo o efeito de bola de neve.

Implementar uma campanha de influencer marketing não é, portanto, tão fácil quanto parece. Pelo facto de fazer parte de uma estratégia específica, necessita ter um objetivo bem definido e ser executada de uma forma perfeitamente controlada. É por esse motivo que faz sentido procurar a ajuda de agências para fazerem este trabalho de uma forma profissional e que possam aconselhar sobre como fazer as escolhas certas. Fale connosco hoje!

 

No mundo do marketing, costuma-se opor performance e branding. No entanto, são duas noções que se complementam e funcionam bem juntas. O branding tem tanta importância quanto o objetivo de conversão. Em geral, é difícil fazer um sem o outro. Para ter êxito na sua campanha de branding e ganhar visibilidade junto de potenciais clientes, é preciso investir num conteúdo nativo e em ações promocionais bem elaboradas.

Por que fazer branding?

Hoje em dia, não compramos apenas um produto ou um serviço. Compramos uma marca e uma experiência. Criar o seu branding é, portanto, uma estratégia essencial para aumentar a sua notoriedade, existir num mercado competitivo e ser reconhecido ou identificado pelos consumidores. Uma marca é muito mais do que um logótipo. É um modo de existir através de um território gráfico, de valores fortes, de uma linha editorial e da fidelização de uma comunidade à sua oferta.

Para funcionar, o branding deve ser dinâmico. Ele evolui, adapta-se e enriquece a experiência dos clientes. É neste ponto que o conteúdo desempenha um papel fundamental. Quer seja no seu blog, quer na sua aplicação móvel ou nas suas redes sociais, um conteúdo adaptado às suas personaspode enriquecer o percurso do cliente e a experiência global. Assim, quando uma pessoa passa de um canal a outro, ela pode reconhecer e compreender que está no mesmo ambiente. O branding também é aplicado nas grandes campanhas de comunicação. Do vídeo ao anúncio, passando pelo SEA e o SMA, o branding pode variar consoante duas estratégias: o imbound para trazer o cliente até si, e o outbound para garantir, reforçar as mensagens-chave e desenvolver a sua marca.

Tradicionalmente, o branding é utilizado sobretudo pelas grandes marcas e grupos com recursos significativos. No entanto, todo mundo pode (e deve) utilizá-lo. Com alguns milhares de euros bem investidos – sobretudo nas plataformas sociais – é fácil manter a sua marca ativa.

O branding móvel, uma alavanca a não subestimar

Hoje, os smartphones são os nossos primeiros ecrãs. Qualquer campanha de branding deve adaptar-se a um dispositivo móvel ou ser otimizada para o dispositivo móvel. O branding móvel é plural e depende dos seus objetivos e das suas mensagens, mas podemos citar alguns exemplos:

O computador reinventa-se com a apresentação

O dispositivo móvel é omnipresente e acompanha-nos o dia inteiro, mas o computador tradicional (o famoso desktop) ainda é muito presente. Em casa ou no trabalho, o seu amplo ecrã oferece um conforto de navegação ímpar. Num computador, não debicamos conteúdo como num dispositivo móvel.  Passamos mais tempo a ler, a informar-nos, a fazer compras e a ver vídeos de alta qualidade.

É aqui que a apresentação de site torna-se pertinente. Um branding também pode ser exibido na parte superior ou lateral de uma página para coexistir de modo não intrusivo com um conteúdo criativo premium. Ele também pode ser interativo, integrar call to actions, vídeos e favorecer o engajamento.

User-generated content: quando a marca aproveita a sua comunidade

Ouser-generated content(ou UGC) designa o conteúdo criado pelos próprios utilizadores. É uma formidável alavanca de branding que está presente naturalmente ao redor da marca para destacar os seus produtos e serviços. O UGC também é um excelente KPI para medir a satisfação dos clientes e o potencial de recomendação. Alguns exemplos:

branding é uma potente alavanca para manter uma marca e atingir uma ampla audiência. Seja no computador, no dispositivo móvel, do seu próprio chefe ou graças à sua comunidade, todo o conteúdo produzido converge para a omnicalidade das mensagens de modo a criar uma experiência pré-venda atrativa e eficaz. A nossa equipa pode propor-lhe campanhas de branding. Contacte-a rapidamente!

Como é que uma ferramenta de comunicação inventada há mais de 30 anos continua a ser tão popular entre os profissionais de marketing e os consumidores? Dito isto, o email é regularmente referido como estando a aproximar-se do fim da sua vida útil. É isto que o mercado nos faz acreditar, sendo que mais uma vez, o email tem resistido a todas as revoluções digitais (redes sociais, chat, notificações móveis, aplicações, gamificação, etc.). Um estudo levado a cabo pela Adobe mostra que 61% dos consumidores preferem receber comunicações de marketing através de email.

O email pode muito bem ser o principal canal para as comunicações digitais, mas o que o torna o melhor canal de conversão? Passamos a explicar.

O Email Marketing é Facilmente Automatizado

O email é crucial para receber confirmações de compra e entrega, inscrever-se em eventos e definir lembretes automáticos (cestos de compras incompletos, campanhas de marketing futuras, etc.). Estamos todos permanentemente conectados aos nossos emails, tanto nas nossas vidas pessoais como profissionais, e esta ligação é crucial na criação de ligações emocionais com marcas que enviam as mensagens adequadas.

O email marketing é a forma mais fácil de os não-especialistas testarem a automatização. Estão disponíveis ferramentas que não requerem quaisquer conhecimentos técnicos e que podem ser utilizadas com muita facilidade. O email marketing é também muito fácil de ser integrado nas ferramentas existentes (bases de dados, CRM, CDP, etc.) pelos profissionais.

O Email é um Identificador Exclusivo

O email é um pouco como um passaporte digital: algo que temos sempre tendência a guardar e mais fiável do que um endereço postal ou um número de telefone. Mesmo que mude de casa ou de emprego, mantém sempre o seu endereço de email pessoal. Em B2B, se uma empresa for submetida a mudanças, os utilizadores mantêm os endereços de email profissional. O email garante a unicidade dos dados e facilita o controlo de qualidade dos contactos (endereços duplicados, endereços inexistentes, etc.).

Isto é essencial para ferramentas de CRM e plataformas CDP de elevada qualidade.

O Email Marketing Facilita a Segmentação e a Classificação

Uma campanha de email marketing fornece dados abrangentes sobre o comportamento dos potenciais clientes e é a melhor forma de alcançar as pessoas adequadas graças à segmentação única. Pode avaliar com precisão o impacto de uma campanha e automatizar a classificação dos seus potenciais clientes de acordo com aberturas, cliques e reencaminhamentos. A avaliação do desempenho é simples e fácil de obter, graças ao email marketing.

Cada perfil pode ser personalizado de acordo com critérios pessoais, e funciona tão bem como com campanhas de testes A/B concebidas para avaliar o desempenho das ações e otimizar a sua tomada de decisões.

O Email Marketing é um Canal de Conversão de ROI

O email marketing custa muito pouco para enviar e pode ter um retorno significativo. O custo de aquisição de clientes permanece baixo. Recuperar o custo de uma base de dados é fácil no âmbito de uma abordagem omnicanal, na qual o email desempenha um papel central (Landing Pages, cupões promocionais, ofertas exclusivas, etc.).

O email é também um canal de fidelização eficaz. É importante lembrar que fortalecer as relações com os clientes é menos dispendioso do que procurar novos clientes. A este respeito, as campanhas de email marketing bem concebidas permitem-lhe manter-se em contacto com a sua comunidade, clientes antigos e representantes.

Além de fortalecer as relações com os clientes, o email é também um canal de aquisição de novos clientes. As campanhas de email de teste em bases de dados externas são essenciais e também são consideradas uma fonte de ROI. Pretende obter mais informações? Contacte os nossos especialistas!

O Email Marketing é Fácil e Acessível

Pode, é claro, criar uma campanha de email, utilizando um designer gráfico, um analista de dados e um designer de experiência do utilizador. Mas, de um modo geral, a criação de uma campanha é fácil, quando tem acesso a um modelo com eficácia comprovada. Não tem de ser um especialista em TI para o fazer. Tem apenas de atualizar o seu catálogo de produtos, recursos visuais, títulos e hooks, de modo a criar uma campanha de elevado impacto em apenas alguns minutos.

Visite o nosso estúdio para criar um Kit Email eficaz e de elevado desempenho!

O Email Marketing é Cross-Device

O email marketing funciona em todos os dispositivos: smartphones, tablets e desktops. Adapta-se a todas as resoluções e até utiliza novas funções interativas. Com a tecnologia de código aberto AMP (suportada pela Google), em breve será possível preencher e enviar formulários diretamente a partir do seu software de email, bem como navegar em galerias de fotografias, efetuar reservas em hotéis e comprar bilhetes de avião.

Há muitas novas funções no horizonte que vão valorizar o email. O email marketing é, de longe, a melhor forma de alcançar potenciais clientes de uma forma fiável e rentável, enquanto a redução do alcance das plataformas sociais está a fazer com que os anunciantes recorram constantemente aos seus bolsos.

Em conjunto com uma boa gestão dos dados e com uma estratégia simples, o email marketing continua a ser, de longe, o melhor canal de conversão para impulsionar as suas vendas online.

Os prospects são muitas vezes o ganha-pão do profissional de marketing. São aqueles que, se a estratégia for bem implementada, podem um dia, ser convertidos em clientes. Quando se trata de gerar leads, a abordagem utilizada difere consoante estiver a operar numa base B2B ou B2C.

Nas empresas, os processos demoram muito tempo, as decisões de compra envolvem vários indivíduos e a qualidade das leads é, muitas vezes, mais importante do que a quantidade. No B2C, o tamanho médio do cesto de compras é menor e o fornecimento de prospects tem de ser constantemente renovado e atualizado. 

Independentemente do seu caso particular, seleccionámos cinco sugestões práticas e viáveis para ajudar a melhorar a qualidade das suas leads, acelerar o seu crescimento, e assim, superar os seus concorrentes.

Formulários Otimizados

É aqui que começa a geração de leads, que precisa de ser cuidadosamente pensada e concebida.

Tem de otimizar o seu formulário até ao mais ínfimo pormenor: se for demasiado extenso, corre o risco de afastar os seus prospects. Se for demasiado curto, corre o risco de ter muito pouca informação para fornecer um contexto para os inquéritos e os pedidos. Em geral, três ou quatro campos é uma boa média em que deve apostar.

Em B2B, pode optar por proibir emails pessoais do tipo Gmail de modo a excluir tudo o que não seja um verdadeiro inquérito ou pedido profissional.  Embora seja um método que, por definição, limitará o número de prospects recebidos, garantirá um maior nível de qualidade. Depois de ter um email profissional em sua posse, poderá enriquecê-lo na sua base de dados com dados sócio-demográficos.

Além disso, também pode eliminar o spam e os endereços inválidos ao enviar automaticamente um email imediatamente após a receção das informações. É uma prática recomendada levar a cabo um procedimento de filtragem de qualidade inicial para evitar ocupar espaço na sua plataforma de CRM ou de dados.

Classificação Eficaz e Automática

De modo a estabelecer a qualidade das suas leads, tem de classificá-las. Este é o propósito da classificação, que atribui um valor aos prospects, com base no respetivo potencial de compra. Esta classificação pode subir ou descer, com base nas interações com as suas campanhas.

Se o seu prospect abrir os seus emails, clicar nos seus links e fizer perguntas, ganha pontos. Se não responder, não reagir ou não abrir as suas comunicações há já algum tempo, provavelmente não vale a pena continuar a guardar os respetivos dados. A classificação permite-lhe remover das suas ferramentas leads com pouca relevância para a sua empresa. A maioria das ferramentas de marketing são hoje capazes de automatizar o processo de classificação e de agregar os dados numa plataforma única e exclusiva.

Fomento Relevante de leads

O Lead Nurturing consiste em cultivar prospects até ao ponto em que estão prontos para efetuar uma compra. Para conseguir isto, é necessário criar buyer personas equipadas com sistemas de ativação individuais. Cada perfil é definido num contexto de marketing diferente com o seu próprio conteúdo especificamente adaptado.

Quanto mais personalizado for o seu lead nurturing, mais eficaz será. Enviar ofertas especiais, enviar informações destinadas a informar e a desenvolver a consciência do produto ou serviço. Partilhar práticas recomendadas, organizar concursos e oferecer conteúdo exclusivo (documentos técnicos, vídeos, etc.) são coisas que pode fazer para ajudar a alcançar este objetivo.

Mensagens Personalizadas Oportunamente

Cada lead progride através do funil de conversão ao seu próprio ritmo e velocidade. Tem, por isso, de ser capaz de enviar as informações adequadas com base na fase em que a lead se encontra. Alguns vão querer conhecer a sua marca melhor; outros terão de ser tranquilizados ou conquistados, sendo que o último talvez esteja à espera de receber uma boa oferta antes de decidir. É aqui que o marketing personalizado realmente se destaca. Não se trata uma pessoa que está a começar a conhecê-lo da mesma forma que se trata um prospect excelente que está prestes a efetuar uma compra.

Uma Experiência Única

A experiência do cliente inclui todas as interações e emoções vividas e sentidas pelo cliente antes, durante e após a compra. Para que seja bem-sucedida, a sua marca deve ser coerente em todas as suas plataformas. O Website responsivo para dispositivos móveis, a loja online, a automatização dos emails, as redes sociais, as boas-vindas ao entrar na loja/serviço… a coerência da experiência cria valor e proporciona segurança.

É fulcral não subestimar a sua importância. O mesmo design, os mesmos valores e o mesmo ambiente em geral devem estar presentes em cada ponto de contacto. Um território de marca coerente contribui para a criação de uma experiência única que lhe permitirá incentivar e tirar o máximo proveito dos seus prospects e torná-los parte da sua grande família.

A questão da quantidade versus qualidade quando se trata de gerir prospects pode, muitas vezes, ser uma fonte de frustrações internas e de mal-entendidos. No entanto, ambas podem funcionar muito bem juntas, se a sua estratégia de marketing for coerente. Para conseguir isto, tem de ter as ferramentas adequadas à sua disposição, nomeadamente as competências de profissionais essenciais necessárias e a tecnologia que lhe permitirá gerir adequadamente os seus dados em estrita conformidade com os requisitos do RGPD. Os nossos especialistas da equipa de geração de “leads” pode fornecer respostas a todas as suas perguntas. Contacte-os hoje mesmo!

O QSP Summit 2019 foi (mais uma vez) um dos mais bem-sucedidos eventos de marketing realizados. Mais de 2300 quadros de topo participaram pela primeira vez em cada um dos 2 dias do evento.

O QSP Summit está na sua 13.ª edição e cresce a cada ano. Este ano, o tema foi a convergência entre a tecnologia e o marketing/gestão. Vivemos tempos desafiantes com combinações revolucionárias entre tecnologia, métodos de trabalho e marketing para os nossos públicos-alvo. Todos os oradores concentraram a sua atenção nesta palavra-chave principal: Convergência.

Convergência em várias perspetivas: Online-Offline; Voz-Dados; Humanos-Robots; Tecnologia-Workplace; Criatividade-Management; Pessoas-Cultura; Produto-Branding; Marketing-Tecnologia; entre outras.

Todos estes conteúdos foram abordados durante estes 2 dias com vários oradores, como Daniel Pink, Spencer Harrison, Stanley Hainsworth, Barbara Kahn entre tantos outros. Houve imensas apresentações interessantes, mas os WorkLabs são muito célebres pelos insights aprofundados sobre um tópico específico.

Como Manter a sua Workforce Motivada?

Uma das maiores dificuldades que qualquer empresa enfrentará é manter os funcionários focados e motivados todos os dias. Por isso, é importante ter acesso a estes tipos de insights:

“As recompensas If-Then são eficazes para tarefas simples e a curto prazo, no entanto, tal não se aplica a tarefas complexas ou a longo prazo”.Daniel Pink em #qspsummit

Remunerações Altas vs Produtividade

“Enquanto a tarefa envolvesse apenas competência mecânica, os bónus funcionavam como era esperado: quanto mais elevado o pagamento, melhor o desempenho.”– Daniel Pink em #qspsummit

Em termos simples, e para descodificar o máximo possível um extenso mas super esclarecido discurso em apenas algumas palavras: atribuir bónus de produtividade e motivação só o levará até certo ponto.

O que é necessário fazer é utilizar mais o conceito “Porquê”. Diga aos seus funcionários POR QUE MOTIVO estão a fazer o que estão a fazer. Mostre-lhes uma perspetiva mais alargada. O que a sua contribuição fará pela marca. Pelo cliente… Pela equipa.

A Autonomia como uma Ferramenta de Empowerment

A autonomia é fundamental para que as pessoas se sintam empenhadas nas suas tarefas e na empresa. Hum, é um conceito estranho. 😉

“Crie pequenas ilhas de trabalho não comissionado para ter mais inovação na sua empresa” – Daniel Pink

Como pode verificar na nossa Página de Carreiras, faz parte da cultura da nossa empresa incentivar os nossos funcionários a terem as suas próprias iniciativas. Uma mentalidade Ágile é fundamental para evoluir. O nosso próprio lema diz tudo: Get Up and Disrupt !

Palco QSP Summit

Até Spencer Harrison disse que “é importante ter os confiantes e os céticos na sua equipa para fomentar novas informações e inovação”. O nosso ambiente multicultural com pessoas de dezenas de nacionalidades e culturas é um dos nossos maiores trunfos. Cada um tem a sua própria personalidade e antecedentes, o que proporciona uma abordagem diferente a cada projeto, o que é fundamental para obter um excelente resultado.

“É um desafio para todas as organizações lidar com o que cada pessoa tem mais probabilidades de desempenhar melhor de acordo com a hora do dia e com o respetivo biorritmo” – Daniel Pink.

Compreendemos que necessitávamos de uma abordagem diferente ao longo dos anos. Foi por isso que criámos a Wook (Wook Office & Organisation at Kwanko): um projeto de 2017 sustentado pelos funcionários do Grupo para um ambiente de trabalho mais transversal e flexível.

O Futuro do Retalho… e a Kwanko

Se não está numa caverna algures ou a tornar-se um eremita, talvez saiba que o retalho está a atravessar uma revolução. Talvez a maior de sempre desde que começamos a ter lojas físicas.

Já não é suficiente ter uma loja em cada esquina para vencer a concorrência.

Se não estiver no dispositivo “portátil” do cliente, é como se não existisse. O cliente pode até passar à frente da sua loja de rua, mas não entra. É um conceito incrível.

Por outro lado, vemos marcas digitais originais como a Amazon que optam por um espaço físico.

Era importante ver o que os especialistas, como Howard Saunders (@retailfuturist), Gerald Storch (antigo CEO da Toys R’ Us e da HBC) e Barbara Kahn, entre outros, nos podiam dizer acerca deste desequilíbrio. Onde é que o retalho terá sucesso HOJE e no futuro?

É um pouco difícil resumir tudo o que aprendemos nesse dia em apenas algumas palavras, como pode imaginar. O segredo do sucesso não é algo que pode ser receitado e esperar que funcione para todos da mesma forma.

No entanto, podemos destacar algumas dessas Lições para si

Como a conferência deste ano já realçou, a Convergência é a chave. Tem de fornecer uma experiência única e unificada ao seu cliente, independentemente do canal que este utiliza para alcançá-lo.

Cliente:“Compra algo de que gosta, a alguém em quem confia” por Barbara Kahn em #QSPSUMMIT2019

Matriz de Sucesso em Retalho por Barbara Kahn

Basicamente, podemos falar em diferenciadores, como Preço baixo, Marca, Experiencial, Sem Frição, como neste gráfico. São todos pontos válidos e importantes sobre como as pessoas veem a nossa marca em relação à concorrência.

Mas o que nos torna tão satisfeitos na Kwanko é saber quantas das nossas soluções de marketing de desempenho podem ajudar as suas vendas a prosperar.

Soluções de E-Commerce e de Marketing de Afiliação onde paga apenas uma pequena percentagem das suas vendas reais geradas pela nossa enorme rede de Publishers. Sem riscos envolvidos.

Solução de Geração de Leads para abrir o fluxo de aquisição de novos clientes dentro dos seus alvos.

Campanhas Drive-to-Store para trazer a experiência digital para uma loja física real e fechar o círculo.

Uma enorme Rede Móvel para divulgar a comunicação da sua marca o mais segmentada e geolocalizada possível.

O Tracking Cross-Device para uma experiência perfeita e simples.

Basicamente, a Kwanko é o seu melhor parceiro de marketing de performance para ter sucesso a partir de 2019.

Quer vencer a concorrência?

Esteja em todos os locais, de forma consistente e inteligente. Estamos muito satisfeitos por poder ajudar no seu objetivo.

Contacte a nossa equipa para encontrar a solução perfeita para as suas necessidades.

Após a loucura das festas de fim de ano e dos saldos de inverno, a primavera é o período que estabiliza a atividade comercial. Em muitos setores de atividade sazonais, trata-se do fim da coleção de inverno e do início da coleção de verão. Embora as condições climáticas e os eventos atuais possam ter impacto na atividade e no volume das vendas online, não deve, no entanto, descurar os seus negócios. Para preparar a sua check-list e organizar a sua equipa e futuras operações, fornecemos-lhe algumas dicas, conselhos e boas práticas.

Marketing de conteúdo: planificar e organizar

O marketing de conteúdo é o que impulsiona a sua marca. Graças a este, contribui para fidelizar a sua comunidade e pode obter novos potenciais clientes. É precisamente nos períodos mais calmos que podemos dedicar algum tempo a organizar o conteúdo que será partilhado. Tal inclui o planeamento dos próximos artigos para o blog, operações sociais e, para os mais ousados, operações de newsjacking. Embora algumas destas últimas atividades estejam associadas a eventos atuais, outras podem ser preparadas com antecedência, como:

Em abril:

Em maio:

Em junho:

Para que o marketing de conteúdo seja eficaz e não muito moroso, é necessária uma boa organização. Calendário de produção, atualização da linha editorial, escolha de temas estratégicos, inteligência competitiva… tantas práticas recomendadas a implementar na primavera.

Organizar os saldos de verão

Claro que ainda tem tempo, pois estes só começarão a partir do final de junho, mas isso permite-lhe antecipar futuras campanhas ou colaborações a implementar.

Pode aproveitar a oportunidade para se lançar no marketing de influência e encontrar influenciadores em sintonia com os valores da sua marca para transmitirem as mensagens adequadas. Trata-se de um trabalho que pode ser efetuado de forma independente, ou em colaboração com uma agência, para poupar tempo. O marketing de influência é uma alavanca que requer uma estratégia. Uma mensagem única junto de um único anunciante geralmente não é suficiente. Dedique algum tempo a encontrar os influenciadores que estão em sintonia com os seus perfis para distribuir o tempo de uso da palavra durante os próximos meses.

Na mesma linha, existem outras alavancas promocionais que pode ativar, como a afiliação. A partir de um marketplace ou de um website de terceiros (blogue, canal YouTube, website, etc.), os afiliados encarregam-se de fazer a promoção dos seus produtos e serviços mediante uma comissão sobre as vendas. Mais uma vez, encontrar os influenciadores que terão a função de porta-voz das suas ofertas não se consegue em poucos dias. A antecipação é a chave para o sucesso.

É também o momento de permanecer em contacto com a sua comunidade, através de campanhas de marketing por email. Não é preciso esperar por uma oferta promocional para interagir com os seus clientes. Pode aproveitar a oportunidade para pedir a sua opinião sobre um tema ou um projeto, partilhar uma experiência, lançar um concurso ou desenvolver uma nova iniciativa (clube privado, degustação ou apresentação, etc.).

Por fim, como preparação para os saldos de verão, pode melhorar ou reorganizar o seu website, atualizar a sua aplicação móvel e lançar uma série de testes A/B para otimizar a experiência do cliente.

Atualizar e otimizar as suas ferramentas

Se a atividade continuar entre os períodos de saldos, o pico de tráfego concentra-se, sobretudo, nos grandes períodos fortes. Sem contar que um mês como o de maio é repleto de oportunidades para fazer ponte e fins de semana prolongados que combinam muitas vezes com uma atividade inferior em alguns setores de atividade. Esta é uma oportunidade para fazer todas as operações de revisão e de manutenção necessárias. Atualizar o website, fazer backups, testes, atualizar os servidores da web, implementar novas plataformas e novas ferramentas… é a grande limpeza da primavera!

Ou seja, a primavera também significa renovação. E se for também uma oportunidade para aperfeiçoar os seus processos internos (monitorização, serviço de apoio ao cliente, moderação social, etc.), fazer o balanço das campanhas anteriores e otimizar as suas colaborações internas e externas?

Antecipar e controlar os fluxos e os volumes de trabalho, estação a estação, permite-lhe distribuir melhor a utilização dos seus recursos tecnológicos, humanos e financeiros ao longo do ano. A primavera não é exceção. Os comerciantes mais bem organizados serão também os mais rápidos e os mais responsivos quando surgir a necessidade.

Contacte a nossa equipa de especialistas para ajudá-lo a atualizar as suas campanhas e a planear o seu calendário de operações comerciais.

Sabe por que razão deve criar o kit email perfeito? Apesar das redes sociais, das mensagens instantâneas e das aplicações móveis, o email continua a ser um dos meios de comunicação mais eficazes. As campanhas de marketing de desempenho por email são também uma alavanca de marketing que não deve subestimar para comunicar através de uma base de contactos em regime de opt-in (adesão voluntária) no âmbito de uma campanha de afiliação. Para facilitar este trabalho, os anunciantes colocam à disposição dos editores kits de comunicação destinados a serem utilizados em Websites de terceiros. Entre estes, encontramos o kit email que permite ao anunciante controlar a sua comunicação, o seu design e as mensagens-chave a partilhar. Mas, criar um kit email perfeito não é uma tarefa fácil. Explicamos-lhe como otimizar as suas mensagens!

O que inclui um Kit Email Perfeito?

Não pode pedir aos editores que façam o trabalho de design por si. Embora alguns sejam especialistas em tecnologia, outros estão menos à vontade com a criação de emails. Sobretudo porque não conhecem todas as subtilezas do seu gráfico (códigos de cores, logótipo, tipo de letra, etc.). É por isso que o kit email tem a vantagem de estar pronto a utilizar, sem conhecimentos técnicos. Para isso, os anunciantes fornecem um ficheiro HTML que os editores podem importar na sua ferramenta de gestão de campanhas de marketing por email. Todas as imagens estão alojadas num servidor de terceiros – geralmente do anunciante – o que garante uma grande disponibilidade e uma velocidade de carregamento otimizada. Dentro do kit, também encontra recomendações ou diretrizes para integrar o conteúdo do email nas ferramentas mais populares onde estão alojados os endereços em regime de opt-in (adesão voluntária).

O objetivo é não tocar no código para poupar tempo e ter um estilo consistente. Um anunciante que trabalha com vários editores pode ver a sua mensagem ser transmitida de modo uniforme no quadro de uma relação de confiança.

Os essenciais para um Kit Email Perfeito

Quanto melhor for o kit email, melhor será o potencial de retorno do investimento. Gerir os seus kits com um orçamento apertado é geralmente o caminho mais curto para campanhas mal construídas e dececionantes. Para evitar esta situação, seguem-se os elementos essenciais a reter e a integrar:

Ao nível da conceção e do design

Um email responsivo

O seu design deve ser otimizado para ser apresentado na perfeição em todas as plataformas e em todos os terminais. A seriedade e o profissionalismo do código são indispensáveis para uma representação de elevada qualidade.

Imagens inspiradoras

As imagens que compõem o email (cabeçalho, rodapé, imagens ilustrativas, ambiente ou retiradas do catálogo de produtos) devem ser otimizadas (peso e tamanho) para não prejudicarem o carregamento da página.

Links funcionais

Um link para um erro 404 ou para uma imagem inexistente no seu servidor são erros de principiante a serem evitados nesta fase.

Rastreadores relevantes

Todos os links, botões e CTA (Call To Action) devem ser rastreados com ferramentas úteis para avaliar o desempenho da sua campanha (e melhorá-la no futuro, se necessário).

Ao nível do conteúdo

Etiquetas dinâmicas

Se possível, personalize o seu email com etiquetas dinâmicas para uma mensagem mais autêntica (nome, apelido, sexo, localização geográfica, etc.).

Um slogan forte e um conteúdo legível

Um email não é uma página Web. O conteúdo deve ser breve e compreensível. A escolha das palavras, dos títulos e do tipo de letra pode fazer a diferença entre um email relevante e uma mensagem que é entregue diretamente na caixa de spam ou no lixo.

Um conteúdo sem erros ortográficos

É simples e básico, mas vale sempre a pena repetir!

Um conteúdo atualizado e controlado

Não duplique os kits emails antigos existentes sem verificar se as informações incluídas ainda são relevantes (link, oferta promocional, mensagem, imagem, etc.). O controlo de qualidade deve ser sistematicamente imposto.

Ao nível das obrigações legais

Cumprimento do RGPD

A lei europeia é da responsabilidade do anunciante, incluindo quando este trabalha com subcontratantes. Trabalhe apenas com parceiros de confiança que cumpram as regras do RGPD.

Link de cancelamento da subscrição

Faz parte das regras clássicas, mas deve ser bem integrado e colocado num local visível.

Endereço e informações de contacto do anunciante

Obrigatório para identificação do remetente da mensagem.

Mensagem de confirmação

Para explicar por que motivo o destinatário recebe este email e em que contexto.

Com todos estes conselhos, tem agora à sua disposição todas as práticas recomendadas para criar o kit email perfeito e otimizar as suas campanhas futuras. Tem apenas de começar a transmitir as suas mensagens junto de uma comunidade recetiva e interessada. Necessita dos serviços de um estúdio gráfico? A nossa equipa de Web designers é especializada em performance marketing. Contacte-nos para saber mais!

O drive-to-store é a versão local do e-commerce. O objetivo é usar todas as alavancas digitais disponíveis para os anunciantes para transformar dados geolocalizados e o uso quase constante de smartphones de modo a atrair os clientes para a loja. Seja para comprar ou recolher uma encomenda, o drive-to-store “cimenta” a experiência do cliente e oferece novas oportunidades para desenvolver os seus negócios. Mas ainda precisa saber como o fazer.

Quando o digital é usado para aumentar as vendas físicas nas lojas

Opor-se o e-commerce e o comércio tradicional não faz sentido hoje em dia. Os dois devem trabalhar juntos numa lógica omnicanal para personalizar experiências para os clientes. O drive-to-store fornece uma solução que converge a internet e a rede física.

As compras na loja estão, de fato, longe de terem sido destronadas pela internet. O último relatório anual do FEVAD (Fevad, Federação de comércio eletrônico e venda à distância) releva que 91,5% das compras no comércio retail ainda são efetuadas na loja.

Mas precisam de se reinventar constantemente para ter mais flexibilidade e agilidade. Com o drive-to-store, o digital incentiva os clientes a irem à loja em busca de objetivos que diferem de acordo com as estratégias aplicadas. Eis alguns exemplos:

Pedidos on-line, recolha na loja

Este é o princípio do “click and collect”, que foi popularizado pela grande distribuição com o conceito de “drive”. O cliente pode comprar um produto on-line e recolhê-lo alguns minutos ou horas depois. Tem acesso imediato ao seu pedido, poupa tempo e pode, opcionalmente, adicionar produtos adicionais ou opções adicionais. Uma estratégia de cross-selling ou de upselling que pode ser significativa para os retailers. Atualmente é uma solução logística oferecida por 38% das marcas de acordo com o FEVAD.

Pedidos on-line, recolha num ponto de venda de terceiros

Este é o sistema de retransmissão das encomendas onde um comerciante concorda em receber pedidos de outras marcas. Se a loja recebe uma pequena comissão da passagem, é especialmente a oportunidade de trazer à sua loja clientes que talvez nunca tivessem ido. Atualmente é uma solução logística oferecida por 86% dos e-comerciantes.

Reserva online, experiência na loja

Um cliente pode marcar uma reunião on-line, através de uma aplicação móvel, um chatbot ou um site do comerciante, e ir até à loja para viver uma experiência. Experimente roupas já selecionadas e prontas para a chegada do cliente, atendimento cosmético, mesa de um restaurante, teste de um carro novo… quanto mais suave o processo móvel, mais a experiência será apreciada. Uma abordagem que provavelmente gera fortes recomendações sociais.

As chaves do drive-to-store

Otimizar a abordagem drive-to-store envolve dominar várias alavancas de marketing. Identificámos algumas para ajudar:

Referencial local com as principais plataformas

Google MyBusiness, Yelp, Tripadvisor, Uber Eats… são impossíveis ignorar. Essas ferramentas e plataformas de intermediação desempenham um papel central na ligação entre anunciantes e potenciais clientes. Para os retailers é essencial ser bem referenciado, ter uma forte cultura do cliente (importância da aparência), compartilhar conteúdo adaptado (fotos, vídeos, descrições) e, especialmente, que toda a informação seja sempre atual (horário de funcionamento, detalhes da loja, etc.).

Publicidade geolocalizada

Orientar as pessoas certas de acordo com os hábitos de viagem ou a posição geográfica delas é essencial no drive-to-store. A geolocalização é aqui uma alavanca estratégica. Quer entrar em contacto com um cliente próximo que é provável de facilmente o visitar. Seja em ADM, SEA ou RTB, quanto mais direcionada a publicidade, mais relevante será.

Notificações e aplicações móveis

Se tiver uma aplicação para dispositivos móveis, a geolocalização poderá comunicar melhor com pessoas próximas à sua loja. A boa prática mais comum é a store locator conselhos para os retailers compreendendo uma pluralidade de lojas. Se quer tomar um café no Starbucks ou está à procura de um corta-relvas num supermercado, essa capacidade de conectar o cliente a uma loja acrescenta valor.

Conectando a dados de terceiros

Clima, notícias, novas coleções… cada marca pode desenvolver comunicações personalizadas por e-mail ou SMS de acordo com acionadores específicos. Um trabalho que exige uma narrativa criativa e pode tocar os seus clientes para incentivá-los a ir até à loja.

CRM onboarding

É uma tecnologia que reúne transações e visitas a lojas com base em exposições de publicidade on-line. É sempre importante saber se a sua publicidade no Facebook gerou visitas às lojas, por exemplo.

O heatmap

Uma vez na loja, fontes discretas são capazes de identificar a distribuição dos seus clientes nos seus corredores e departamentos. Isto é muito útil para reorganizar a sua publicidade, destacar as suas dicas e encontrar os mecanismos para manter os seus clientes por mais tempo no local enquanto melhoram os seus recursos humanos (vendedores e consultores).

Atualmente não é possível ignorar o drive-to-store. Para os retailers, é a alavanca essencial que combina o melhor dos dois mundos para uma melhor personalização das experiências. Uma estratégia de marketing baseada na relevância dos dados e uma boa gestão da mobilidade para se adaptar ao novo comportamento de compra.

Descubra as nossas soluções de drive-to-store graças à nossa equipa de especialistas: entre em contacto com eles para saber mais!

Difícil de as ignorar ou prescindir delas já que estão em toda parte. Do Facebook ao Instagram passando pelo Twitter, Pinterest e LinkedIn, as redes sociais são ótimas ferramentas de comunicação para construir e desenvolver uma comunidade. No entanto, podem fazer mais do que apenas fornecer informações. Bem utilizadas, as redes sociais também são alavancas de negócios para gerir leads qualificadas que podem ser convertidos em clientes. Entre inbound marketing, lead generation e lead nurturing, descubra como as redes sociais podem impulsionar os seus negócios.

Personas e redes sociais: em querer estar em todo lado acaba por não estar em lado nenhum

Falamos do Facebook, obviamente, mas também do Twitter e porque não o Snapchat também? Com as redes sociais, é tentador querer estar em todos os lugares mas corre o risco de dispersão. No entanto, é impossível estar em todas as redes sem uma equipa dedicada e conteúdo adaptado e diferenciado em todas as plataformas. Abrir uma conta para “estar lá” e deixá-la inativa é pior do que não ter nenhuma conta. Boa comunicação nas redes sociais exige, portanto, uma estratégia adequada. Antes de começar, é necessário saber em qual rede apostar.

Para isso, deve definir as suas personas. Estes são retratos robóticos dos seus clientes típicos. Personagens virtuais com uma identidade real e que ganham vida com as informações da experiência da sua equipa de marketing e vendas, bem como dados coletados pelo suporte ao cliente. Com 4 ou 5 personas, deve ser capaz de cobrir 80% dos seus clientes.

Essas personas são evolutivas: conhecemos os seus percursos profissionais, as suas experiências, o que fazem, o que compram, quais são suas alavancas de motivação e, portanto, quais as redes sociais em que provavelmente passarão mais tempo.

As suas personas também são muito úteis para definir uma estratégia de conteúdo específica: o que leem? Quais são os problemas deles? Como poderia a sua oferta ajudá-los? Estas questões irão moldar a sua estratégia social online para gerar leads qualificadas.

Use as ferramentas certas e as estratégias adequadas.

Para os responsáveis de marketing e gerentes de comunicação é difícil contentarem-se com ferramentas nativas fornecidas pelas principais plataformas sociais. São pensadas principalmente para utilização pessoal e faltam-lhes critérios para utilização profissional. É por isso que existem muitas ferramentas que complementam uma utilização básica. Deixamos abaixo, alguns exemplos de ferramentas e práticas recomendadas para dominar a sua presença on-line e tornar-se num especialista em geração de leads:

Automatização

Estes são programas de software que se conectam às suas contas on-line para criar cenários de publicação e interação com base em acionadores. Por exemplo, assim que publica um artigo no seu blog, este é partilhado no Facebook e no Twitter, e algumas horas depois no LinkedIn. A automatização também permite que crie e-mails de marketing com facilidade ou marque prospetos de acordo com as suas ações (abertura de um e-mail, compromisso social, etc.)

URL tracking

Quando o conteúdo é publicado, pode criar um link exclusivo para avaliar e acompanhar o impacto das suas campanhas e partilhas. Os seus KPI estarão sempre atualizados e relevantes.

Partilha de conteúdos frios

Todas as suas publicações não podem ser recicladas infinitamente. Essa é a diferença entre conteúdo quente (relacionado à notícia e rapidamente obsoleto) e conteúdo frio, que é facilmente compartilhável. Pode criar listas temáticas de conteúdo frio que serão automaticamente publicadas de novo sem qualquer intervenção num ritmo pré-definido.

Inteligência competitiva

Para monitorizar tendências, tópicos quentes ou descobrir o que os seus concorrentes estão a fazer. A partir de algumas contas sociais ou hashtags, pode criar um painel para uma monitorização pró-ativa e eficiente.

Marketing de conteúdo: seja organizado

As redes sociais são basicamente apenas um canal de comunicação. O que importa é o que pode colocar nele. Esse é o desafio do marketing de conteúdo: organizar, produzir e publicar um conteúdo variado e relevante que possa atender à sua presença social.

Para uma estratégia de marketing de conteúdo relevante, um calendário editorial é essencial. Desta forma sabe com antecedência qual artigo e qual tópico será publicado em qual rede de acordo com uma pessoa em particular. É uma boa maneira de antecipar a produção e distribuir melhor os seus recursos.

A variação do conteúdo também é importante. Artigos, infográficos, álbuns de fotos, questionários, vídeos… a diversidade cria dinamismo adicional no discurso. Na mesma linha, também pode testar vídeos ao vivo para diferentes formatos: AMA (ask me anything – um vídeo ao vivo onde responde a todas as perguntas dos utilizadores), um FAQ (mesmo princípio, mas as perguntas são previamente selecionadas e organizadas), unboxing, lançamento de um produto (evento à noite ou apresentação VIP com antecedência), vários eventos, etc.

As redes sociais são alavancas estratégicas de marketing para a sua marca. Elas transmitem mensagens-chave, geram valores fortes, aceleram as vendas e conectam os clientes a uma marca. É também uma forma de experimentar anúncios segmentados para alcançar pessoas além da sua comunidade imediata e, assim, recolher leads qualificadas.

A nossa equipa de especialistas em geração de leads pode ajudá-lo. Entre em contato para saber mais!

Nas lojas físicas, tal como na Web, a pressão da concorrência é constante. A pesquisa e a qualificação de potenciais clientes estão nas prioridades dos profissionais de marketing. Tal e qual como um visitante pode passar e voltar a passar na rua, à frente de uma montra cuidadosamente organizada, a versão digital impõe uma abordagem diferente para tentar capturar o visitante inconstante. E, quanto a isso, o retargeting é uma estratégia muito eficaz para aumentar a taxa de conversão, reduzir a pressão financeira sobre os objetivos de aquisição e otimizar a experiência do cliente.

Como definir o acionador para um retargeting eficaz

O acionador é a ação que dará início ao processo de retargeting. É possível criar tantas campanhas de retargeting quanto o número de acionadores existentes. O que importa é personalizar a relação entre a ação e a mensagem. Por exemplo, não transmitiremos a mesma informação se um utilizador permanecer numa página de uma categoria durante cerca de vinte segundos, em relação ao que passará quatro minutos em várias páginas de produtos da mesma categoria.

Por isso, é essencial definir corretamente os acionadores. Aplicar o retargeting a cada passagem no Website – incluindo para quem permanece 10 segundos na página inicial – não é uma prática adequada. Não só vai gastar o orçamento desnecessariamente, mas, além disso, o utilizador pode sentir-se perseguido e seguido, o que não é necessariamente agradável.

Embora existam vários acionadores possíveis, para uma campanha eficaz, pode escolher:

Um carrinho não validado

Um utilizador (identificado ou não) que adiciona produtos ao carrinho, mas que não vai até ao fim do processo de compra.

Uma visita demorada

Numa página ou num conjunto de páginas, que se pode medir pelo tempo consagrado ao conteúdo, os links clicados ou o número de páginas visitadas.

Uma visita que varia de acordo com a origem

Publicidade, afiliação, redes sociais, etc.

Uma campanha de retargeting pode começar alguns minutos ou vários dias após o acionador. Trata-se de um critério importante, pois está diretamente associado ao objetivo da visita: quando uma visita a um blogue não requer uma ação imediata, um carrinho não validado poderia, por exemplo, ser redirecionado nas 36 a 48 horas que se seguem. Por outro lado, se o carrinho inclui um produto imediatamente efémero (um bilhete de comboio ou de avião para uma data próxima, ou uma operação especial prestes a ser concluída, por exemplo), nada impede que inicie a sua campanha nas próximas horas.

Retargeting: que mensagens transmitir?

A criação de publicidade associada ao retargeting é efetuada de modo automático. No caso de um Website de e-commerce, associamos um modelo pré-existente ao conteúdo de um catálogo que contém os produtos consultados. Quando este último contém milhares de referências, o anunciante pode então selecionar apenas determinadas categorias de produtos, tais como aqueles cujos stocks são mais importantes ou cuja venda gera mais margem.

O trabalho de criação e de design deve ser levado a cabo de modo a transmitir a mensagem certa à pessoa certa. Alguns cenários de retargeting podem também incluir informações sobre os utilizadores, caso sejam conhecidas: se um homem visita uma secção do Website dedicada às mulheres, é legítimo imaginar que está à procura de um presente. O retargeting pode concentrar-se na valorização de um guia de compras ou de conselhos práticos, e não no produto como tal.

Práticas recomendadas do retargeting para os anunciantes

Variar o retargeting

Existem várias formas de retargeting, como:

Definir o potencial cliente com pertinência

A partir de um Website comercial, quanto mais intensa for a página visitada, mais eficaz é o retargeting. É mais pertinente redirecionar um utilizador que passa mais tempo numa página do produto, do que na página inicial. Também pode criar campanhas de retargeting inteligentes a partir dos dados sociodemográficos apresentados. Esta é uma boa forma de transmitir a mensagem certa ao perfil certo.

Por fim, tenha em atenção para não ser muito específico no retargeting. Na verdade, o risco real é criar uma sensação de tracking que pode ser devastadora. Quando age com ponderação, arruína uma relação potencial com um potencial cliente. O retargeting deve ser utilizado para criar uma relação, não para incomodar os seus potenciais clientes!

Ferramenta estratégica para impulsionar as vendas, o retargeting deve ser utilizado com precisão e inteligência. As variáveis e a subtileza de ajuste são tão importantes, que é necessário conhecer bem todos os pormenores antes de iniciar. Por fim, uma última precisão puramente semântica. Por vezes, falamos também de remarketing e isso pode ser confuso. Na verdade, trata-se de uma especificidade do Google que nomeou a sua solução de retargeting “remarketing”, mas o princípio é o mesmo.

A nossa equipa de especialistas em gestão de programas baseada no desempenho é capaz de acompanhá-lo nesta alavanca de transformação. Entre em contacto para saber mais!